domingo, dezembro 26, 2010

Casa rosa de Goiás



Encanto a primeira vista. Ao longo de um beco estreito, dei de cara com ela. Toda rosa. E me pareceu abandonada. Mas, os detalhes me fizeram perguntar. Quem teria morado aí? Contemplado a paisagem por essas janelas, espiado o movimento pelos desenhos da porta? Ou talvez ainda more, quem sabe?
Desenhar nas ruas do centro velho de Goiás é bem tranquilo ( menos no feriado e dias de festas, segundo os moradores, época que chegam mais turistas). Foi só sentar na calçada e começar a rabiscar, um sossego. De vez em quando passava alguém, e se estava de guarda-chuva era perfeito para completar a cena.

3 comentários:

Tino Freitas disse...

A antiga cidade de Goyaz (hoje, Goiás Velho) é um presente para os olhose para quem tem o espírito leve e um jeito mais lento de ver o tempo passar. Lucia, se ainda estiver por aí, não deixe de passar num café (Grão Café Realejo)"escondido" a uns 100 metros ao lado da casa de Cora, subindo em direção à igreja. O ligar é regido por artistas que trabalham com um super projeto de educação no local. Incrível!!! E feliz ano novo!!! Quando vier aqui pertinho de novo, avise!!! Hatuna Matata!!!

Fernanda Mayer disse...

Através da Folhinha ("Mistérios de Mukashi" - 11/12/2010) peguei o endereço do seu site. Parabéns pelos seu trabalho. Realmente maravilhoso. Sou professora de história e será muito legal mostrar aos alunos esse universo das estórias japonesas através de seus livros! é tudo muito lindo!

Lúcia Hiratsuka disse...

Tino,

como vai? Acabei perdendo o café, mas quero voltar lá!
Feliz Ano Novo pra vocês também.

beijos, beijos!



Fernanda,
gostei de saber que leu a Folhinha e tomara que seus alunos gostem das lendas e outras histórias.
Entre os meus livros, eu lhe recomendo "Os livros de Sayuri", já que você é professora de história.
Um beijo grande

Lúcia